Você sabe quem substituiu judas no grupo dos 12 apóstulos? O Espírito Santo ajuda na escolha.

Estrelas

A importância de ser cheio do Espírito Santo

Após Jesus entregar Sua vida na cruz do Calvário para a redenção da humanidade, Ele ressuscitou e apareceu para os discípulos, comissinou-os a pregar as boas-novas de salvação e enviou o Espírito Santo, o Consolador, para que não ficassem órfãos nem desamparados após Ele ter voltado para junto do Pai.
Contudo, muitos cristãos não aproveitam está bênção para trilhar um caminho reto e triunfante na presença do Senhor. Preferem agir sob os próprios impulsos e esforços, achando que ser cheio do Espírito Santo é apenas confessar o nome de Jesus como único e suficiente Salvador.
É preciso muito mais que isso para ser cheio da presença do Espírito de Deus. Não basta falar em línguas estranhas ou freqüentar os cultos semanalmente. O Senhor espera mais de cada um de nós para revestir-nos com seu poder. Ele deseja que nos tornemos semelhantes a Cristo em nossa maneira de pensar, sentir, falar e agir .
Isto é um processo contínuo, um exercício diário, que visa à santificação e ao crescimento espiritual. Todos os dias somos chamados a despir-nos dos velhos hábitos e assumir a posição de novas criaturas, de filhos de Deus, tendo Jesus como referencial. Só que não podemos fazer isso pelo nosso próprio conhecimento ou poder. Dependemos do agir do Espírito Santo para alcançar este propósito, porque só aqueles que querem ter uma vida sob o controle de Deus é que alcançam as promessas do Senhor em sua totalidade. É hora de ser cheio do Espírito Santo.
Deus, em cumprimento à Sua promessa em Joel 2.28,29 e em Ezequiel 36.26,27, enviou Seu Espírito para habitar em cada pessoa que aceitou Cristo como seu Salvador e Senhor (ver Atos 1.8; 2.1-11). É pela ação do Espírito Santo que o homem é convencido de pecado, de justiça e de juízo, arrepende-se e é santificado, produzindo o fruto do Espírito —que é amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio (Gálatas 5.22,23 ARA) e recebendo dons espirituais e ministeriais, para o crescimento e a edificação dos membros do Corpo de Cristo.
O Espírito Santo é o agente responsável pelo novo nascimento, o nascimento espiritual, a regeneração do ser humano, a transformação deste em nova criatura feita à imagem e semelhança de Cristo, para tornar-se, como Ele, um filho de Deus (ver João 3.5; Tito 3.5). Em outras palavras, é o Espírito Santo quem inspira, aconselha, dirige e consola o cristão. É Ele quem deve operar em nós tanto o querer como o efetuar segundo a boa vontade de Deus (Filipenses 2.13).
Foi pela ação e inspiração do Espírito Santo que os profetas veterotestamentários falaram e agiram, revelando aos homens a mensagem e a vontade de Deus, bem como é pela orientação do Espírito que a Igreja de Jesus age e anuncia o Evangelho.


O Espírito de Deus agia na vida dos crentes do Antigo Testamento e também age na vida dos cristãos nos dias de hoje. Mas de uma maneira mais plena, pois não está mais restrito apenas àqueles que presidem sobre outros, mas a todos que fazem parte do Corpo de Cristo.
Entretanto, existe uma diferença entre ser habitação do Espírito e ser cheio do Espírito. Depois da conversão, o coração passa a ser templo do Espírito. Só que este deve ser o Senhor de tudo, com plena liberdade para operar em nós para a glória de Deus. Ele deseja que vivamos de forma transbordante com a presença do Espírito Santo. Só assim conseguiremos testemunhar com autoridade as boas novas à humanidade e sermos vitoriosos sobre o pecado, o mundo e o diabo.
O Espírito Santo é o nosso combustível, o nosso guia, o nosso intercessor! Podemos ser prósperos financeiramente e ter todos os bens materiais desejáveis, mas se não nos enchermos da presença do Espírito de Deus seremos como um carro sem gasolina. Não funcionaremos e não cumpriremos os propósitos para os quais fomos chamados.
Além disso, devemos ser cheios do Espírito Santo: 1) porque um lugar vazio pode ser mal ocupado, trazendo morte e destruição; 2) porque precisamos de amadurecimento espiritual para atingir a estatura de Cristo; 3) porque só uma pessoa cheia do Espírito Santo é mais do que vencedora e estará apta a encontrar-se com Cristo, quando Ele vier buscar a Sua Igreja.
Em suma, encher-se do Espírito é o segredo da vitória em todos os aspectos da nossa vida. O Senhor deseja que Seus filhos sejam cheios do Espírito Santo agora mesmo. Se não estivermos preparados e revestidos de Seu poder, dificilmente desfrutaremos as bênçãos divinas na terra e, muito menos, no céu, ao lado do Pai por toda a eternidade.
Para alcançar este propósito, a primeira coisa a fazer é ter o desejo de ser cheio do Espírito Santo (Mateus 5.6); é querer ardentemente ter comunhão com Ele, ansiar em ser controlado e fortalecido por Deus. Você quer ser cheio do Espírito Santo? Então busque isso.
(Mensagem extraída do livro A importância de ser cheio do Espírito Santo, do Pr. Silas Malafaia, publicado pela Editora Central Gospel)
Podemos escolher diversas maneiras para seguir a nossa vida, mas a melhor delas é viver de forma abundante com o poder de Deus. E o segredo para alcançar esta bênção está na admoestação do apóstolo Paulo, feita em Efésios 5.18: E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito (Ef 5.18).


Resposta do título:Atos 1- 16 a 26.
Homens irmãos, convinha que se cumprisse a Escritura que o Espírito Santo predisse pela boca de Davi, acerca de Judas, que foi o guia daqueles que prenderam a Jesus;
Porque foi contado conosco e alcançou sorte neste ministério.
Ora, este adquiriu um campo com o galardão da iniqüidade; e, precipitando-se, rebentou pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram.
E foi notório a todos os que habitam em Jerusalém; de maneira que na sua própria língua esse campo se chama Aceldama, isto é, Campo de Sangue.
Porque no livro dos Salmos está escrito: Fique deserta a sua habitação, E não haja quem nela habite, Tome outro o seu bispado.
É necessário, pois, que, dos homens que conviveram conosco todo o tempo em que o Senhor Jesus entrou e saiu dentre nós,
Começando desde o batismo de João até ao dia em que de entre nós foi recebido em cima, um deles se faça conosco testemunha da sua ressurreição.
E apresentaram dois: José, chamado Barsabás, que tinha por sobrenome o Justo, e Matias.
E, orando, disseram: Tu, Senhor, conhecedor dos corações de todos, mostra qual destes dois tens escolhido,
Para que tome parte neste ministério e apostolado, de que Judas se desviou, para ir para o seu próprio lugar.
E, lançando-lhes sortes, caiu a sorte sobre Matias. E por voto comum foi contado com os onze apóstolos.

fonte: pesquisa em diversos da net
fotos net.




Estrelas

Um relato emocionante do momento da morte de Jesus.

Cristo
A MORTE DE CRISTO
Uma derrota que foi a maior vitória.
    Jesus, ao terminar a vida na cruz, não teve para anima-lo o gôzo do triunfo.
Seu coração estava vergado ao peso da angustia e oprimido de tristeza.
Sentia sobre Si o peso esmagador dos pecados  do mundo que o separava do Pai,
e foi isso que o quebrantou o coração, determinando a Sua morte.
Cristo experimentou aquela angústia que hão de experimentar os pecadores quando
um dia tiverem toda a consciência de sua culpabilidade, 
e reconhecerem estar para sempre privados do gozo e da paz dos Céus.

Os anjos contemplavam pasmos a terrível agonia do Salvador.
Tão intensos eram os sofrimentos do espírito,
que faziam desprezar as dores da cruz.
A própria natureza simpatizou com aquela cena.
O sol, que até ali havia brilhado no firmamento,
eclipsou-se de repente; ao redor da cruz
tudo ficou mergulhado em trevas profundas.
Esta escuridão sobrenatural durou três  horas consecutivas.
Nenhum olho mortal podia penetrar a escuridão que se havia feito ao redor da cruz.
Um temor indizível apoderou-se de todos os espectadores.
As imprecações e as zombarias cessaram subitamente.
Homens, mulheres e crianças caíram por terra, assustados.
De quando em quando fulvos  raios rasgavam as nuvens, 
iluminando a cruz e o Salvador crucificado
Todos acreditavam chegada a hora da tribulação.

À hora nona o negrume dissipou-se de sobre o povo,
continuando porem a envolver a cruz como uma mortalha, 
enquanto flajantes raios pareciam ser despedidos contra ela.
Exalou-se então do peito de Jesus o aflitivo grito:
"Deus Meu, Deus Meu, por que Me desamparaste?"
Entrementes as trevas haviam baixado sobre Jerusalém
e sobre as planícies da Judéia.
Volvendo os olhos para a cidade, todos podiam ver
agora que os raios da ira de Deus eram despedidos contra elas.
Eis senão quando a treva ao redor da cruz desfaz bruscamente
e com voz clara e estridente, que repercute em toda a natureza, Jesus branda:
"Está cumprido." "Pai, nas Tuas mãos entrego Meu Espírito".
Uma luz inundou a cruz, e o rosto do Salvador tornou-se resplandecente como o sol.
Depois, inclinando a cabeça, expirou.
Cristo


A multidão ao redor da cruz ficou imóvel, olhando boquiaberta e sem respiro para ela.
De novo as trevas baixaram sobre a terra e um surdo estampido semelhante ao de um forte trovão
ecoou no espaço, sendo acompanhado de violento terremoto.
Em conseqüência do tremor produzido, os homens caíram embaralhados por terra.
Seguiu-se a mais horrenda confusão.
Nas montanhas adjacentes fenderam-se os penhascos, 
sendo precipitados com estrondo no abismo.
Ao mesmo tempo abriram-se muitas sepulturas e eram lançados fora os seus mortos.
Parecia como se toda a criação devera fazer-se pedaços.
Sacerdotes, principais e soldados quedavam-se mudos de terror, 
jazendo muitos prostrados no chão.
Cristo
À hora que Jesus expirou, alguns sacerdotes estavam cumprindo o ritual divino no templo.
Haviam sentido o terremoto, e no mesmo instante o véu, que dividia o Santo do Santíssimo,
era rasgado de alto a baixo por aquela mesma mão misteriosa que no palácio de Belsazar
escrevera as palavras que selaram a sorte da Babilônia.

O lugar santíssimo no santuário terrestre não continuaria por mais tempo a ser um lugar sagrado.
Nunca mais a presença de Deus havia de ensombrar o seu propiciatório.
Nunca mais o favor ou desfavor de Deus seria manifestado ali pela sombra
nas pedras preciosas do peitoral do sumo sacerdote.
Dai por diante o sangue do sacrifício oferecido no templo seria destituído de valor.
O Cordeiro de Deus, morrendo sobre o calvário,
havia-Se tornado o legítimo Sacrifício pelos pecados do mundo.

Quando Cristo morreu sobre o Gólgota, foi aberto o novo e vivo caminho,
destinado tanto aos judeus como aos gentios.

Os anjos rejubilaram quando o Salvador exclamou do alto da cruz:
"Está cumprido!" O grande plano de redenção havia de ser levado a feito.
Os filhos de Adão, por uma vida de obediência, 
haviam de ser finalmente exaltados até à presença de Deus.

Satanás estava DERROTADO e o seu reino ameaçado de próxima dissolução.

Do livro a vida de Jesus com título original the story of Jesus
(um livro que ganhei de minha avó Vicentina O. Calado, o maior legado que se pode ganhar)

Cristo



QUATRO MARCAS QUE DIFERENCIAM A PREGAÇÃO DE JESUS DA PREGAÇÃO DOS DEMAIS PREGADORES
 

1a. MARCA: JESUS PREGOU ALICERÇADO NO SEU PRÓPRIO NOME
Observe-se que o cientista fala em nome da Ciência, o juiz, em nome do Direito e da Justiça; o político, em nome da Pátria; o artista, em nome da Arte. Todos falam em nome de alguma coisa, menos no nome deles próprios, ou colocando-se como tema principal, como coluna e garantia da veracidade do que estão afirmando. Só Jesus Cristo falou em seu próprio Nome, usou a si mesmo como tema, apresentou-se como garantia suficiente da verdade e infalibilidade do que pregava. Agiu assim porque Ele é Deus. Só Ele pregou a si mesmo, só Ele exigiu por base única da convicção de seus discípulos a fé absoluta em sua Palavra. Jesus Cristo demonstrou ter uma consciência tão plena de que Ele é a Verdade, que apresentou sua pregação como norma universal de conduta, critério infalível de julgamento, sinal inquestionável de sua missão divina. E tudo em seu próprio Nome!


2a. MARCA: NINGUÉM SUPEROU JESUS NA AUTORIDADE COM QUE ELE PREGAVA
Jesus Cristo é Deus. A autoridade com que Ele pregava é mais uma prova de sua divindade. Eis a impressão do povo, quando Ele finalizou o Sermão da Montanha: “Quando Jesus acabou de proferir estas palavras, estavam as multidões maravilhadas de sua doutrina; porque Ele as ensinava como quem tem autoridade, e não como os escribas” (Mt 7.28,29). Veja também Mateus 21.23-27; 28.18; Marcos 1.22; Lucas 4.32.
Em João 7.46, vemos que os próprios guardas que o haviam ido prender maravilharam-se diante da autoridade de sua palavra: “Responderam eles: Jamais alguém falou como este homem” (Jo 7.46).
Um historiador da filosofia observou que Sócrates, Platão, Aristóteles e outros grandes homens do paganismo chegaram a proclamar-se diante do mundo como arautos da verdade, intérpretes da tradição, ecos da ciência; mas nenhum deles ousou exigir uma fé inabalável em suas doutrinas, nem apresentaram-se como mestres únicos, juízes infalíveis da humanidade. Pelo contrário, vê-se que eles foram constantemente atormentados pelo temor de cair em erro, em contradição. O próprio Aristóteles, momentos antes de morrer, declarou: "Vivi na dúvida, e morro na incerteza". Essa atitude jamais foi vista em Jesus, que pregava sempre com firmeza e autoridade absolutas, pois sabia que a sua Palavra é a Verdade, que Ele mesmo é a Verdade. Essa palavra da qual depende a vida ou a morte, a luz ou as trevas, a existência ou o nada, não pode ser simplesmente humana: É o Verbo de Deus diante do qual estremecem todos os seres por Ele criados, e curva-se o Universo inteiro!


3a. MARCA: NINGUÉM SUPEROU JESUS EM PROFUNDIDADE E CLAREZA DE MENSAGEM
Ninguém pregou como Jesus Cristo pregou, ninguém conseguiu ser entendido pelo povo tanto quanto Ele o conseguiu. Só Deus, falando à humanidade, atingiria tal grau de clareza e profundidade em sua mensagem. A linguagem de Jesus é a linguagem de Deus: clara e profunda, sublime e simples, elevada e popular ao mesmo tempo. Sob o véu de simples parábolas, Jesus ensinava verdades de celestial beleza. Ele condensava em expressões breves e fáceis as leis da consciência humana, os princípios fundamentais da família e da sociedade, os mistérios da alma e de Deus.
“Jesus Cristo é o orador mais sublime e popular que existiu, é incomparável, não tem rival”, afirmou o historiador inglês Gibier. Ele dirigiu-se a todos os homens, e todos o compreenderam. Examinando os quatro Evangelhos, vemos que a palavra de Jesus não é um relâmpago que brilha por um instante, e em seguida apaga-se e deixa-nos submergidos nas trevas, conforme ocorre com a palavra de filósofos e cientistas. Não. A palavra de ensino de Jesus é um sol admirável suspenso no firmamento do mundo, constantemente iluminando com seus raios tanto os altos e elevados cumes das montanhas, como os profundos e obscuros vales. Tanto o sábio quanto o iletrado o entendem!



4a. MARCA: NINGUÉM CONSEGUIU PREGAR COMO JESUS PREGOU PARA TODAS AS ÉPOCAS
Jesus Cristo é Deus, e Sua mensagem continua atual, apesar de passados quase dois mil anos do tempo em que Ele pregou na Palestina. O homem comum, por mais capaz que seja, não pode libertar-se dos limites que o cercam, do selo do limitado e finito que está impresso em seu ser e em seus atos. Tudo o que ele diz, deseja a realiza tem sempre relação com as realizações de uma geração determinada, e todas elas são finitas.
O historiador Bougaud observa que também “os homens de pensamento puro, os sonhadores solitários, os poetas, os filósofos, os artistas, aqueles cuja vida dedicada ao culto do ideal vai mais longe na humanidade e passa rapidamente, são também de um determinado tempo. Através das estrofes de seus poemas ouvem-se, com os clamores da humanidade, os clamores de sua época; com os suspiros da alma humana, os suspiros do povo, do século, da cidade onde essa alma rogou, chorou, sofreu e amou.”
Porém, isso não ocorre com Jesus. Ele não representa os ideais de um século, a tradição de uma raça, as aspirações de um país, a tendência de uma época qualquer. Não. A Obra e a Mensagem de Jesus Cristo estão acima de tudo isso, porque Ele é Deus! Seus ensinamentos estão acima de todas as ciências, de todas as épocas, e da cultura de todos os povos. O próprio materialista francês Ernesto Renan, em cujo livro Vida de Jesus tentou atacar a divindade de Cristo, reconheceu que Jesus “é a honra de todo o que leva em seu peito um coração humano”, e é “o nosso grande Mestre, o Indivíduo que fez com que a espécie humana desse o grande passo para o divino”.
Renan reconheceu também que “a história inteira seria incompreensível sem Jesus”, e que “todos os povos civilizados datam a sua era do dia em que Ele nasceu, porque ele é para a humanidade um princípio inesgotável de renascimentos morais e espirituais”. É de admirar o fato de que esse homem, após ter dito tantas palavras de exaltada admiração sobre a pessoa de Jesus, fosse capaz de negar sua divindade! Mas que importa a descrença, o ódio, a impiedade, as calúnias, as negações, as perseguições contra a pessoa do nosso Salvador? Apesar de todos os seus inimigos, Jesus Cristo é Deus que nos visitou ao tornar-se carnalmente um de nós, e seu Reino cresce dia após dia, e jamais terá fim!
Jefferson Magno Costa

 


O perfume que antecede a Páscoa, o cheiro de Jesus.

Mateus 26 - 1 a 13

Bem sabeis que daqui a dois dias é a Páscoa; e o Filho do homem será entregue para ser crucificado.
Depois os príncipes dos sacerdotes, e os escribas, e os anciãos do povo reuniram-se na sala do sumo sacerdote, o qual se chamava Caifás.
E consultaram-se mutuamente para prenderem Jesus com dolo e o matarem.
Mas diziam: Não durante a festa, para que não haja alvoroço entre o povo.
Aproximou-se dele uma mulher com um vaso de alabastro, com ungüento de grande valor, e derramou-lho sobre a cabeça, quando ele estava assentado à mesa.
E os seus discípulos, vendo isto, indignaram-se, dizendo: Por que é este desperdício?
Pois este ungüento podia vender-se por grande preço, e dar-se o dinheiro aos pobres.
Jesus, porém, conhecendo isto, disse-lhes: Por que afligis esta mulher? pois praticou uma boa ação para comigo.
Porquanto sempre tendes convosco os pobres, mas a mim não me haveis de ter sempre.
Ora, derramando ela este ungüento sobre o meu corpo, fê-lo preparando-me para o meu sepultamento.
Em verdade vos digo que, onde quer que este evangelho for pregado em todo o mundo, também será referido o que ela fez, para memória sua.
O PERFUME DE JESUS 
Paulo Roberto Gaefke
Poucas horas antes de ser levado para o seu martírio final, Jesus foi perfumado por aquela mulher na casa de Simão, que lavou-lhe os pés com suas lágrimas e secou-as com seus cabelos.
Quebrando o vaso de alabastro, perfumou-o e chorando copiosamente se retirou, sentindo sua alma liberta e aliviada.
Quando Simão e os demais perguntaram para Jesus se Ele sabia do passado daquela mulher, o Mestre imediatamente perguntou: "quem sofre mais? aquele que deve 50 ou 500 moedas?.
Ao ouvir a resposta de que sofre mais quem mais deve, o Senhor do Amor, perdoou aquela mulher, que entrou para a história, ao perfumar o próprio Cristo, demonstrando a sua humildade e amor.
Dizem que naquela tarde, as três horas, na hora em que expirou a vida no corpo de Jesus, o dia se fez noite, o véu do santuário rasgou-se em dois e muitos mortos se levantaram dos túmulos.
 No meio desse caos, das trevas que se formaram, algumas pessoas, puderam sentir no ar, aquele perfume do vaso de alabastro, o perfume de Jesus, o perfume de amor.
 É esse perfume que eu quero que você sinta agora entrando pela sua vida.
É esse aroma amoroso que eu quero que penetre agora no seu espírito e nunca mais saia da sua vida.
Feche os olhos e pense em Jesus.
Pense no Jesus vivo.
Pense que você está agora entrando na casa de Simão e leva o seu perfume preferido para ungir o Nosso Senhor.
Veja o sorriso de Jesus com a sua presença, encoste a sua cabeça no peito Dele e deixe Ele te afagar os cabelos.
Chore, solte todas ás suas dores, aflições, conflitos, e abandone-se no abraço do Cristo. Lave os pés de Jesus com suas lágrimas, enquanto sua alma é lavada e redimida pelo Seu infinito amor.
Esse é o seu momento, não se preocupe com os outros.
Olhe agora para os olhos de Jesus, veja toda a beleza desse olhar que penetra no fundo da sua alma e compreenda definitivamente que Ele te ama mais do que tudo e você é a ovelha amada que Ele veio recuperar.
 Ao sair, quando abrir os olhos, não estranhe o perfume de rosas espalhado no ar.
É Jesus, que veio marcar a sua presença definitiva na sua vida, e nunca mais você vai se sentir sozinho.
 Nunca mais vai se sentir abandonado, pois este perfume, esse amigo, essa luz, vai estar sempre em sua vida.
 Essa luz chamada Jesus vai iluminar a sua vida e você vai ser feliz, porque você merece toda a felicidade deste mundo. 
"E, estando Ele em Betânia, assentado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher, que trazia um vaso de alabastro, com ungüento de nardo puro, de muito preço, e quebrando o vaso, lho derramou sobre a cabeça.“






DANIEL 5
1) Certa noite, o rei Belsazar, da Babilônia, deu um banquete, convidou mil autoridades do país e começou a beber vinho com os convidados.
2) Depois de beber bastante, mandou que trouxessem os copos de ouro e de prata que Nabucodonosor, o seu pai, havia tirado do Templo de Jerusalém. Belsazar queria os copos para que ele, os seus convidados de honra, as suas mulheres e as suas concubinas os usassem para beber vinho.
3) Trouxeram os copos de ouro e todos começaram a beber vinho neles
4) e a louvar os deuses de ouro, de prata, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra.
5) De repente, apareceu a mão de um homem e ela começou a escrever na parede branca do salão do banquete, num lugar iluminado pela luz do candelabro. Ao ver a mão, o rei
6) não sabia o que pensar; ficou pálido de medo e começou a tremer da cabeça aos pés.
7) Depois, gritando, ordenou que chamassem os adivinhos, os sábios e os astrólogos. Logo que eles chegaram, Belsazar disse: -Aquele que ler o que está escrito na parede e me explicar o que quer dizer será vestido com roupas de púrpura, receberá uma corrente de ouro para pôr no pescoço e será a terceira autoridade mais importante no meu reino.
8) Todos os sábios entraram no salão, mas nenhum deles pôde ler o que estava escrito na parede, nem explicar ao rei o que aquilo queria dizer.
9) O rei se assustou ainda mais, e o seu rosto ficou mais pálido ainda. E nenhuma das altas autoridades sabia o que fazer.
10) Então a rainha-mãe, que tinha ouvido os gritos do rei e dos seus convidados de honra, entrou no salão e disse ao rei: -Que o rei viva para sempre! Não se assuste, nem fique pálido assim,
11) pois aqui no seu reino há um homem que tem o espírito dos santos deuses. Quando Nabucodonosor, o seu pai, era rei, esse homem provou que era ajuizado, inteligente e sábio, tão sábio como os deuses. E o rei Nabucodonosor pôs esse homem como chefe dos sábios, adivinhos, feiticeiros e astrólogos.
12) Pois Daniel, esse homem a quem o rei deu o nome de Beltessazar, pensa com muita clareza; ele é sábio e inteligente e pode interpretar sonhos, explicar coisas misteriosas e resolver assuntos difíceis. Portanto, chame Daniel, e ele explicará o que está escrito na parede.
13) Levaram Daniel até a presença do rei, e este perguntou: -Você é mesmo aquele Daniel, um dos judeus que o meu pai, o rei Nabucodonosor, trouxe de Judá como prisioneiros?
14) Já me disseram que o espírito dos deuses está em você e que você pensa com muita clareza e é muito inteligente e sábio.
15) Há pouco, estiveram aqui os sábios e os astrólogos, que eu mandei chamar para que lessem as palavras que estão escritas na parede e me explicassem o que elas querem dizer. Porém eles não puderam dar nenhuma explicação.
16) Mas alguém me disse que você pode explicar mistérios e resolver assuntos difíceis. Portanto, se você puder ler o que está escrito e me explicar o que quer dizer, você será vestido com roupas de púrpura, receberá uma corrente de ouro para pôr no pescoço e será a terceira autoridade mais importante do meu reino.
17) Daniel respondeu: -O senhor pode ficar com os seus presentes ou então dá-los a outra pessoa. Mesmo assim, eu vou ler as palavras que estão escritas na parede e vou explicar ao senhor o que elas querem dizer.
18) Ó rei, o Altíssimo Deus deu o reino ao seu pai, o rei Nabucodonosor, e lhe deu também poder, glória e majestade.
19) O poder que Deus lhe deu era tão grande, que todos os povos do mundo tremiam de medo na presença dele. Se ele queria, matava uma pessoa; ou, se queria, deixava que vivesse. Elevava uns e rebaixava outros.
20) Mas ele ficou tão vaidoso, tão teimoso e tão cheio de si, que foi derrubado do poder e perdeu toda a sua glória.
21) Foi expulso do meio dos seres humanos, perdeu o juízo e agia como um animal. Morava com jumentos selvagens, comia capim como os bois e dormia ao ar livre, ficando molhado pelo sereno. Isso durou até que ele reconheceu que o Altíssimo Deus domina todos os reinos do mundo e coloca como rei quem ele quer.
22) -E o senhor, ó rei Belsazar, filho de Nabucodonosor, sabia de tudo isso, mas mesmo assim não tem sido humilde.
23) Pelo contrário, o senhor desafiou o Rei do céu e mandou trazer os copos que foram tirados do Templo dele, a fim de que o senhor, os seus convidados de honra, as suas mulheres e as suas concubinas bebessem vinho neles. Além disso, o senhor deu louvores a deuses de prata, de ouro, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra, que não vêem, não ouvem e não sabem nada. Mas o senhor não deu glória a Deus, aquele que tem o poder de matar ou de deixar viver e que decide tudo o que acontece com o senhor.
24) É por isso que ele mandou essa mão escrever na parede estas palavras:
25) "Mene, Mene, Tequel e Parsim".
26) -E agora a explicação. Mene quer dizer que Deus contou o número dos dias do reinado do senhor e resolveu terminá-lo.
27) Tequel quer dizer que o senhor foi pesado na balança e pesou muito pouco.
28) Peres quer dizer que o seu reino será dividido e entregue aos medos e aos persas.
29) Aí o rei Belsazar mandou que vestissem Daniel com roupas de púrpura, pusessem uma corrente de ouro no seu pescoço e anunciassem que dali em diante ele seria a terceira autoridade mais importante do reino da Babilônia.
30) Naquela mesma noite, Belsazar, o rei da Babilônia, foi morto,
31) e Dario, o rei do país da Média, que tinha sessenta e dois anos de idade, começou a reinar no seu lugar.



 Deus em sua grande misericórdia revela aos pequenos os mistérios de seu grande poder, magnitude e domínio.  As promessas e bençãos dadas aos seus servos, são eternas ninguém poderá revoga-las, mesmo com as mudanças de reinos e poderes terrenos, ainda assim, o que lhe é de direito é nosso.
 Vemos o preço pago pela profanação do Santuário, os últicilios sagrados são violados, a quebra da aliança, o culto aos deuses estranhos, tudo isso ofende o coração de Deus, que faz justiça, e a vida do rei é retiradas, como prova que Deus tem poder sobre o viver e o morrer.
O que mais me impressiona é o temor e tremor, a fraqueza do forte diante do Poder Soberano de Deus.
Diante Dele, diz na palavra, todo joelho se dobrará, toda língua confessará, que Ele é Deus e Senhor sobre todas as coisas; reis e reinados, poderes, céus e terra, tudo que está no mar, e no ar, estrelas e infinito, tudo é de Seu domínio, e feito pra louvor de sua Glória; Até os que Nele não acreditam, treme na dúvida do amanhã, no pós morte, e no perigo, nas dores e incertezas do viver, pedem a força maior... ajuda de Deus!

Em todo meu viver, que eu nunca esqueça de agradecer por tê-lo conhecido, e por ter em quem confiar, que eu possa estar embaixo de Tuas asas Senhor, guardada de toda dor, zelada por Teu amor, em Jesus, amém.
valquiria calado


Tão certo como a luz no amanhecer
Teu sonho é possível sim
A nuvem cinza se dissipará
E nada mais será igual
É a sua vez

Refrão
A mão de deus
Vai escrever
Mais um de seus milagres
Se você crer
Que hoje é o tempo de vencer
Acredite o céu diz que sim

Num calendário que só ele ver
Ele já marcou a tua ascensão
Dê asas e a fé te levará
A lugares que você jamais
Jamais sonhou.


As Crises de Jeremias
O serviço do Senhor é bastante duro; não é um papel indicado para qualquer pessoa. Pelo relato bíblico, parece que as pessoas que são mais usadas por Deus como instrumentos na obra dele passam por grandes aflições. Não é de admirar então que Paulo exortasse Timóteo para que se fortalecesse a fim de passar por tribulações: "Portanto, não se envergonhe de testemunhar do Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro dele, mas suporte comigo os meus sofrimentos pelo evangelho, segundo o poder de Deus ... Suporte comigo os meus sofrimentos, como bom soldado de Cristo ... suporte os sofrimentos ..." (2 Timóteo 1:8; 2:3; 4:5). A palavra de Deus desmente as doutrinas de ''parar de sofrer'' que são promulgadas por determinadas igrejas de nossa época. A realidade das duras provações na vida cristã assusta vários discípulos que ficam abalados ao ponto de deixar de trabalhar para o Senhor. Será que nós também engolimos o mito de que a vida cristã deve ser livre de angústia?
A vida de Jeremias nos dá bastante auxílio para encarar bem os sofrimentos do servo do Senhor. Note as seguintes etapas da carreira dele:
O chamamento
Quando Deus chamou Jeremias para ser profeta (1:5), ele não queria aceitar: "Ah, Soberano Senhor! Eu não sei falar, pois ainda sou muito jovem" (1:6). O Senhor respondeu que ele lhe daria as palavras e que ele determinaria a programação (1:7). Também ele se comprometeu a estar com Jeremias: "Não tenha medo deles, pois eu estou com você para protegê-lo" (1:8). O Senhor também concedeu a Jeremias os recursos dos quais ele precisaria para resistir aos ataques dos inimigos: "E hoje eu faço de você uma cidade fortificada, uma coluna de ferro e um muro de bronze, contra toda a terra: contra os reis de Judá, seus oficiais, seus sacerdotes e o povo da terra. Eles lutarão contra você, mas não o vencerão, pois eu estou com você e o protegerei" (1:18-19). Deus já deixou Jeremias prevenido dos esforços dos oponentes, mas lhe deu plena certeza da presença dele para capacitá-lo a encarar todas as dificuldades.
A mensagem
Jeremias pregou ousadamente a mensagem que o Senhor lhe deu: "O meu povo cometeu dois crimes: eles me abandonaram, a mim, a fonte de água viva; e cavaram as suas próprias cisternas, cisternas rachadas que não retêm água" (2:13). Ele expôs a infidelidade e a insensatez do povo de Judá por ter abandonado a única fonte do bem e por ter corrido atrás dos ídolos vazios.
A primeira crise
A pregação corajosa da palavra do Senhor por Jeremias irritou muita gente que não queria que seus pecados fossem expostos e condenados. A pregação da palavra de Deus raramente conduz à popularidade. O tom de autoridade é desgostoso para o homem rebelde. As pessoas que ficam ressentidas com a mensagem perturbadora geralmente recorrem a medidas ou para calar o mensageiro ou para acabar com ele. Não era diferente com Jeremias. O Senhor revelou para Jeremias que os homens estavam tramando para matá-lo. Estes homens incluíram o pessoal da própria cidade dele, Anatote (veja 11:18-23).
Jeremias não entendeu a razão pela qual o Senhor deixou o caminho dos ímpios prosperar. Ele queria saber até quando a terra iria sofrer por causa da perversidade deles que Deus estava aparentemente tolerando. Era especialmente difícil para os santos no velho testamento porque não tinham nítida visão da vida eterna. Foi Cristo que "trouxe à luz a vida e a imortalidade por meio do evangelho" (2 Timóteo 1:10). Antes de Cristo, os fiéis esperavam bênção ou castigo nesta vida. Então quando o Senhor deixava os ímpios permanecerem impunes era bastante difícil para irmãos como Jeremias entender.
A resposta do Senhor à angústia de Jeremias era bem chocante. Ao invés de simpatizar e confortar, o Senhor repreendeu e desafiou. Respondeu de três formas: Œ"Se você correu com homens e eles o cansaram, como poderá competir com cavalos? Se você tropeça em terreno seguro, o que fará nos matagais junto ao Jordão?" (12:5). Deus estava repreendendo Jeremias por ter ficado tão preocupado com pouca provocação. Se ele nem conseguisse caminhar um quilômetro, vamos dizer, como é que ele iria agüentar a maratona? Nós devemos ter cautela para não sentir muita pena de nós mesmos, porque é bem provável que a situação piore e aí faremos o quê? Deus revelou que a situação já era pior do que ele imaginava: "Até mesmo os seus irmãos e a sua própria família traíram você e o perseguem aos gritos. Não confie neles, mesmo quando lhe dizem coisas boas" (12:6). Não eram apenas os compatriotas da cidade nativa que estavam tramando contra ele, eram os próprios familiares! Ele já passou por trechos angustiantes, mas a realidade ficou mais horrível ainda. Será que para nós também os atuais sofrimentos têm a finalidade de nos fortalecer a fim de suportarmos as verdadeiras angústias vindouras? Deus mostrou que os sofrimentos de Jeremias eram bem mais leves do que os dele mesmo: "Abandonei a minha família, deixei a minha propriedade e entreguei aquela a quem amo nas mãos dos seus inimigos. O povo de minha propriedade tornou-se para mim como um leão na floresta ..." (12:7-8). O que o Senhor estava passando era bem pior do que os sofrimentos de Jeremias, pois ele tinha que abandonar o que ele criou e tanto amou. Dificilmente refletimos no lado das decepções que o Senhor experimenta.
A segunda crise
Jeremias chegou ao ponto de sentir-se muito solitário por causa da rejeição quase universal que passou. "Todos me amaldiçoam", Jeremias reclamou, e afirmou que não tinha feito nada para merecer tal horror (15:10-11). "Jamais me sentei na companhia dos que se divertem, nunca festejei com eles. Sentei-me sozinho, porque a tua mão estava sobre mim e me encheste de indignação" (15:17). Foi bem duro para Jeremias ser excluído de tudo por causa da tarefa severa que ele possuía de anunciar a palavra do castigo. Ninguém queria se associar com ele. Por isso, Jeremias voltou-se contra o Senhor: "Por que é permanente a minha dor, e a minha ferida é grave e incurável? Por que te tornaste para mim como um riacho seco, cujos mananciais falham?" (15:18). Antes, Jeremias havia pregado que Deus era "fonte de água viva" (2:13), mas agora o chamou de riacho seco. Até mesmo grandes homens de Deus caem.
A resposta do Senhor à reclamação de Jeremias me surpreende. De novo, ao invés de simpatizar com Jeremias, o Todo-poderoso o desafiou: "Se você se arrepender, eu o restaurarei para que possa me servir; se você disser palavras de valor, e não indignas, será o meu porta-voz. Deixe este povo voltar-se para você, mas não se volte para eles" (15:19). O profeta havia fracassado e a solução era que ele se arrependesse da sua auto-compaixão rebelde e voltasse ao Senhor. Só assim ele seria o porta-voz do Senhor. Desde que ele já era o porta-voz do Senhor, esta promessa que ao se arrepender ele se tornaria o porta-voz significa que estas queixas contra o Senhor já havia tirado dele esta função. Deus estava lhe dando uma segunda chance, mas ele não deu ouvidos às reclamações. Ele não achou a situação insuportável para Jeremias, não. E depois ele repetiu as palavras do chamamento (15:20-21; veja 1:18-19), assim mostrando que as instruções de que Jeremias necessitava para vencer o desafio estavam já em suas mãos.
Auto-compaixão não faz com que o Senhor dê o braço a torcer. Jeremias estava tão triste por causa do seu isolamento, porém no próximo capítulo (16) Deus ordenou que ele não se casasse e que não fosse nem para velórios nem para festas. Estes mandamentos certamente teriam aumentado este sentimento de solidão que Jeremias passava, mas Deus decretou-os mesmo assim.
Aplicação
Temos que suportar sofrimentos. O cristianismo não é para pessoas moles. Somente pessoas com coragem e determinação resoluta terão a força necessária para prosseguir neste caminho. Cristo cria bons soldados não mimando-os, mas deixando-os passar por grandes dificuldades. A preparação militar, ou até mesmo o treino esportivo, é duro. Nenhum general orienta suas tropas dando-lhes o máximo de conforto e descanso. Nenhum técnico fortalece seus atletas sem dor e suor. Do mesmo jeito podemos nos preparar para passar por momentos duros na vida cristã, porque o Senhor quer que fiquemos fortes e firmes. Talvez nós já imaginamos que a vida é bem difícil, mas estas dificuldades podem ser designadas meramente como entrada às verdadeiras provações do futuro. Se já nos rendermos, como é que superaremos os desafios maiores?
O projeto do Senhor não é que paremos de sofrer nesta terra, mas que as angústias fortaleçam nossa fé ao ponto que fica "muito mais valiosa do que o ouro que perece, mesmo que refinado pelo fogo" e que resulta "em louvor, glória e honra, quando Jesus Cristo for revelado" (1 Pedro 1:7). Não importa a dureza dos momentos aqui, são leves e momentâneos em comparação com a "glória eterna que pesa mais do que todos eles" (2 Coríntios 4:17). Que aprendamos com Jeremias a suportar sofrimentos sem queixa e sem auto-compaixão!
Nota: As citações bíblicas neste artigo são da Nova Versão Internacional (NVI).
-por Gary Fisher


O destino dos apóstolos

Todos os apóstolos que andavam com Jesus morreram como mártires, com exceção de dois: Judas Iscariotes, que traiu Jesus e acabou se enforcando, e João, que após ser exilado na ilha de Patmos, obteve a liberdade e morreu de morte natural.

PAULO, que não era apóstolo oficialmente, foi considerado apóstolo do gentios por causa da sua grande obra missionária nos países gentílicos. Foi decapitado em Roma por ordem de Nero.
MATIAS, que ficou no lugar de Judas Iscariotes, foi martirizado na Etiópia.

SIMÃO, o zelote, foi crucificado.

JUDAS TADEU morreu como mártir pregando o evangelho na Síria e na Pérsia.

TIAGO (o mais jovem), pregou na Palestina e no Egito, sendo ali crucificado.

MATEUS morreu como mártir na Etiópia.

TOMÉ pregou na Pérsia e na Índia, sendo martirizado perto de Madras no monte de São Tomé.

BARTOLOMEU serviu como missionário na Armênia, sendo golpeado até a morte.

FILIPE pregou na Frígia e morreu como mártir em Hierápolis.

ANDRÉ pregou na Grécia e Ásia Menor. Foi crucificado.

TIAGO (o mais velho) pregou em Jerusalém e na Judéia. Foi decapitado por Herodes.

SIMÃO PEDRO pregou entre os judeus chegando até a Babilônia, esteve em Roma, onde foi crucificado com a cabeça para baixo.
www.universojovem.com / por Sidney Melo






Senhor Deus Todo poderoso
em glória e majestade
Nos deste vida pra vivermos 
glorificando Teu  grande nome
Senhor
 tem sido difícil pra Teus filhos 
suportarem tantas dores...
A iniquidade tem se multiplicado
o horror tem se estabelecido
apresa-te  ó Deus em socorrer-nos
Atentai Teus ouvidos aos gemidos 
que sobem deste vale de dor
Livra Senhor Teus inocentes das mãos perversas
Envia Teu Espírito consolador
a refrigerar os corações que sangram
As mães que seguram seus filhos sem vida
Ó Deus
tem misericórdia desta nação
que a cada dia se afasta mais de Tua vontade
Como filha reconheço que Teus Espírito chora
com gemidos inexprimíveis pela dor dos inocentes.
Ó querido Deus
daí consolo e paz aos que te necessitam
Apieda-te desta nação chamada Brasil
deste povo amoroso
que hoje chorar inconsolável
seus filhos amados
Maranata
ora vem Senhor Jesus
sara esse povo ferido
 Deus amado 
Publicar postagem
em nome do Teus filho Jesus Cristo. 
Amém.
Valquiria


.

Gratidão

E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos.
(Colossenses 3, 15)

 


Texto: "E aconteceu que, indo ele a Jerusalém, passava pela divisa entre a Samaria e a Galiléia. Ao entrar em certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez leprosos, os quais pararam de longe, e levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem compaixão de nós!  Ele, logo que os viu, disse-lhes: Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, enquanto iam, ficaram limpos. Um deles, vendo que fora curado, voltou glorificando a Deus em alta voz; e prostrou-se com o rosto em terra aos pés de Jesus, dando-lhe graças; e este era samaritano. Perguntou, pois, Jesus: Não foram limpos os dez? E os nove, onde estão? Não se achou quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro? E disse-lhe:Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou." Lc 17:11-19



Gratidão demonstra o valor dado a tudo que se recebe. Ser grato é uma atitude amorosa onde está presente a honra e o louvor. Isto tem implicações profundas na vida cristã. A recomendação é que sejamos agradecidos. Este predicado está cada vez mais raro no meio dos relacionamentos. Parece que as pessoas não conseguem perceber a importância de reconhecer o que se fez por elas. Pensam que não passou de uma obrigação ou de uma circunstância isolada. Quem não tem um coração grato não consegue ver nada de positivo ou feito por amor. Estas pessoas tem a tendência de achar que tudo foi feito por interesse e que não há realmente necessidade de ser grato. No caso dos dez  leprosos encontramos uma história de homens ingratos e apenas um grato. O que espanta é exatamente saber que a maioria não sentiu necessidade de voltar e agradecer. Esta prática se repete em nossos dias e existem muitas pessoas que não sabem ser gratos a Deus nem as pessoas que a ajudam.
I- INGRATIDÃO – RESULTADO DO EGOÍSMO
Antes de falar sobre gratidão é importante fazer alguns apontamentos sobre a ingratidão. Este sentimento está presente em em nossos dias, e geralmente estão presentes em pessoas que  dificuldades em agradecer a Deus ou a alguma pessoa, por algum benefício ou favor. Esta pessoa torna-se indeseja e possivelmente não conseguirá ter vínculos fortes de relacionamentos. Os leprosos viviam uma vida de rejeição e de dor e mesmo diante da cura não voltaram para agradecer ao Mestre. Temos aqui alguns princípios importantes para refletirmos:
a) Ingratidão é não reconhecer o que Deus faz Sl 78:16,17.
Quantas coisas temos recebido da parte de Deus. Não podemos tomar a atitude do povo de Israel de ,mesmo sendo alvo dos livramentos e das bênçãos de Deus , rebelara contra Deus. Não reconheceram o quanto foram beneficiados pela mão poderosa de Deus. Eram extremamente egoístas e interesseiros. A geração do deserto não entrou na terra prometida em decorrência dessa atitude de rebeldia e ingratidão.


Observemos também o seguinte ponto: Há muitas pessoas que também não reconhecem o que se faz por elas. Toda ajuda recebida, todo esforço feito a seu favor, toda palavra dita, todo perdão dado são tidos como nada. Na realidade o coração dessas pessoas está cheio de inveja, dor e amargura a tal ponto que não conseguem enxergar o valor da gratidão.


b) É esquecimento Lc 17-11-19 – Existem pessoas que esquecem facilmente do que é feito para si. São boas para cobrar o que lhes pertencem, porém, péssimas em lembrar-se do que foi feito a seu favor. Guardemos as palavras do Salmista em nosso coração: Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum dos seus benefícios (Sl 103:1,2).

c) Ingratidão é insensibilidade Pv 28:14
- Muitos tem coração duro. Resultado ou não de decepção, sofrimentos e circunstâncias da vida deixaram se levar pelo egoísmo e fecharam-se a tal ponto que não sentem a necessidade de ser grato pelo que recebe do próximo. Os leprosos eram Samaritanos. Esta classe rivalizava com os Judeus. Era uma questão história. Ao serem curados isto pode ter representado uma barreira (presente em seus corações) para voltarem e agradecerem o favor alcançado.

II – GRATIDÃO – UMA ATITUDE DE AMOR



Conforme já foi colocado, gratidão e agradecer por algum benefício ou algo que recebeu. Gratidão representa uma forma de louvor e também de honra a Deus. Quando se fala em louvar a Deus estamos falando de uma atitude gerada em nós pelo que Ele é. Louvar a Deus é uma forma de honra-lo como Senhor e Criador. Quando se fala em “ações de graças” estamos falando de uma atitude de agradecer a Deus por aquilo que Ele fez. O Salmo 100 diz: Entrai pelas suas portas com ação de graças, e em seus átrios com louvor; dai-lhe graças e bendizei o seu nome. (Sl 100:4) Ao mesmo tempo que devemos louvar a Deus pelo que ele é, devemos também louva-lo pelo que ele fez e continua fazendo por nós e em nós.


a) Gratidão revela valorização do que recebeu – O leproso que voltou até Jesus demonstrou que o que recebeu foi muito importante e que por valorizar isto não caberia outra atitude senão adorar a Jesus e ser-lhe grato pelo favor alcançado. Também fica implícito que ele valorizou a pessoa de Jesus. Saber valorizar o que recebeu (e cuidar bem) e valorizar também quem fez o ato é uma atitude de amor. Gratidão gera amor e cuidado, gera respeito e reverência. Foi estas as atitudes do leproso diante do Mestre.

b) Gratidão revela humildade ver Pv 18:12
- O leproso era desprezado e certamente rejeitado pela sociedade de sua época. Não poderia viver em comunidade. Sua vida toma um novo rumo a partir do encontro com Cristo. No entanto, não é somente isto que chama nossa atenção. Veja que enquanto os 09 não sentiram a necessidade de voltar, houve um que percebeu sua incapacidade e imerecimento. Sua atitude demonstrou que não recebeu a cura porque era bom ou rico, mas sim pela misericórdia de Jesus.



c) Gratidão geral louvor e adoração (Sl 92) – O leproso voltou glorificando a Deus (Lc 17:11) pois em seu coração havia gratidão. Ele sabia que não poderia mudar sua situação. Ele foi alvo da graça de Deus e louvou a Deus pelo que havia recebido. Quantos recebem tantas bênçãos de Deus e não sabem olhar para eles e encontrar motivos de louvor e ações de graças. Façamos como o leproso: glorifiquemos ao Senhor. Aprendamos a dar graças por tudo (1 Tm 5:18)
III – QUESTÕES PRÁTICAS SOBRE A GRATIDÃO


a) Seja grato a Deus mesmo diante das dificuldades
b) Seja grato as pessoas que te ajudam ou te ajudaram
c) Seja grato não somente pelas  grandes conquistas, mas, também pelas pequenas.
d) Saiba honrar aqueles que estão do teu lado (família, trabalho,igreja), e verbalize isto.
e) Não esqueça dos benefícios que fizeram a você.
f) Uma pessoa grata tem um olhar de fé e de esperança
g) Uma pessoa grata é feliz e possui humildade de coração
h) Uma pessoa grata divide o que possui... o ingrato (egoísta)...
i) Uma pessoa grata sabe o valor de ajudar os outros.


Conclusão: Saber reconhecer o que fazem por você é mais que uma atitude nobre, é uma atitude cristã. Ser grato a quem te estende a mão, a quem cuidou (a) de você é sinal de amor e respeito. Não esquecer do que fizeram por você é atitude de amor. Vá ainda hoje e fale com as pessoas a quem você é grata, elas podem ter uma grande surpresa!!!! Não acha??
Que Deus nos ajude.

Por Pr. Antônio Firmino da Silva Júnior



Veja esta ilustração:  Gratidão


O homem por detrás do balcão, olhava a rua de forma distraída. Uma garotinha se aproximava da loja e amassou o narizinho contra o vidro da vitrina. Os olhos da cor do céu, brilhavam quando viu determinado objeto. Entrou na loja e pediu para ver colar de turquesa azuis.
- É para minha irmã. Pode fazer um pacote bem bonito?
O dono da loja olhou desconfiado para a garotinha e lhe perguntou:
- Quanto dinheiro você tem?
Sem hesitar ela tirou do bolso da saia um lenço todo amarradinho e foi desfazendo os nós.
Colocou-o sobre o balcão, e feliz disse:
- Isto dá, não dá?
Eram apenas algumas moedas que ela exibia orgulhosa.
- Sabe, continuou. Eu quero dar este presente para minha irmã mais velha. Desde que morreu nossa mãe, ela cuida da gente e não tem tempo para ela. É aniversário dela e tenho certeza que ela ficará feliz com o colar que é da cor dos seus olhos.
O homem, foi para o interior da loja. Colocou o colar em um estojo, embrulhou com um vistoso papel vermelho e fez um laço caprichado com um fita verde.
- Tome! Disse para a garota. Leve com cuidado. Ela saiu feliz saltitando pela rua abaixo.
Ainda não acabara o dia, quando uma linda jovem de cabelos loiros e maravilhosos olhos azuis adentrou à loja.
Colocou sobre o balcão o já conhecido embrulho desfeito e indagou:
- Este colar foi comprado aqui?
- Sim senhora.
- E quanto custou?
- Ah! Falou o dono da loja. O preço de qualquer produto da minha loja é sempre um assunto confidencial entre o vendedor e o freguês.
A moça continuou:
- Mas minha irmã somente tinha algumas moedas.
O colar é verdadeiro, não é? Ela não teria dinheiro para pagá-lo.
O homem, tomou o estojo, refez o embrulho com extremo carinho, colocou a fita e o devolveu à jovem.
- Ela pagou o preço mais alto que qualquer pessoa pode pagar.
Ela deu tudo que tinha!
O silêncio encheu a pequena loja, e duas lágrimas rolaram pelas faces jovens.
Enquanto suas mão tomava o embrulho ela retornava ao lar emocionada.
Verdadeira doação, é dar-se por inteiro sem restrições.
Gratidão de quem ama não coloca limites para os gestos de ternura.
E a gratidão, é sempre a manifestação de Deus para com pessoas que tem riqueza de emoções e altruísmo.
Sê sempre grato, mas não espere pelo reconhecimento de ninguém.
Gratidão como Amor é também dever que não apenas aquece quem recebe, como reconforta quem oferece.

HINO DE GRATIDÃO


 Pai por Tua fidelidade imensuravel
Te agradeço
Por tudos os cuidados que me tem concedido
Te agradeço
Por teu amor incondicional
Te agradeço
Pro Teu perdão, imerecido
Te agradeço
Por  Tuas miséricordias renovadas a cada aurora
Te agradeço
Por cada pão que colocas na minha mesa
Te agradeço
Por todos os meus irmãos
Te agradeço
Por tudo que tens feito 
Te agradeço
Por todas as bençãos que tens reservadas pra mim
Te  agradeço
E acima de todas as coisas que me deste e  virá
Te agradeço pelo sangue derramado lá na cruz
Por mim e todos os teus filhos

TE AGRADEÇO EM NOME DE JESUS.
AMÉM.